Ovários Policísticos – Causas da Síndrome, Sintomas e Tratamento

0


Existem certas doenças que são exclusivas de mulheres, por isso, o seu conhecimento se torna ainda mais importante, já que, normalmente essas enfermidades se referem aos órgãos sexuais, como é o caso da Síndrome do Ovário Policístico, a qual, também é chamada de SOP.

Essa doença é causada por uma irregularidade endócrina, a qual, faz com que os níveis hormonais das mulheres se alterem, levando a uma formação de cistos nos ovários, o que, pode ser extremamente perigoso e faz com que eles aumentem de tamanho.

ovarios policisticos

Ovários Policísticos – Síndrome silenciosa que atinge milhares de mulheres no Brasil e no mundo.

Além disso, outros efeitos dessa doença são: menstruação irregular, período fértil afetado, alta produção de testosterona, o qual, é um hormônio masculino e ainda a presença de micro cistos nos ovários.

A causa dessa doença ainda não é totalmente esclarecida, mas, o que os cientistas e médicos já descobriram, é que existe uma alta probabilidade de ela ter relação direta com os fatores genéticos, o que aumenta a preocupação de mães com ovários policísticos, as quais, tenham filhas.

Ovários Policísticos – Sintomas

Para perceber que uma mulher tenha Ovários policísticos é necessário avaliar a falta crônica ou ainda alguma falha na ovulação, isso pode indicar um problema com os níveis hormonais, os quais, levam o corpo a produzir Ovários policísticos.

ovarios policisticos foto

Imagem interna dos Ovários Policísticos.

Além desse sintoma, outras características dessa enfermidade são:

  • Atrasos na menstruação, desde da puberdade;
  • Aumento de pelos no rosto, seios e abdômen;
  • Obesidade;
  • Acnes espalhadas por todo o rosto.

Diagnóstico Ovários Policísticos

Os diagnósticos de uma pessoa que tenha Ovários policísticos são o exame clínico, o ultrassom ginecológico e exames laboratoriais, com esse conjunto de ações, é possível descobrir que uma mulher sofra com essa doença ou não.

No exame de ultrassom, por exemplo, é possível se perceber a presença de muitos folículos simultâneos nos dois ovários. É sempre importante que esse exame seja feito entre o terceiro e o quinto dia do ciclo menstrual, já que são nesses dias, que os ovários estão mais nítidos.

Vale ressaltar que mulheres, as quais, apresentem apenas sinais de Ovários policísticos no ultrassom, mas, não tenham nenhum dos sintomas mencionados acima, não pode ser considerada doentes e devem ser observadas de perto, para qualquer tipo de ocorrência.

Exames

Quem possui a Síndrome do Ovário Policístico acaba tendo alguns sinais claros da doença, como a falta de menstruação ou ainda o aumento de pelos por todo o corpo. Assim, essa síndrome pode ser percebida apenas com esses dois fatores.

ultrassom ovarios

Imagem de Ultrassom – Exame é capaz de diagnosticas a SOP – Síndrome dos Ovários Policísticos.

Mas, para uma melhor segurança, existe uma série de exames, os quais, podem ser realizados para confirmar que uma mulher possua esse tipo de enfermidade, os quais incluem:

  • Histórico clínico: não é propriamente um exame, mas, com o histórico clinico de uma mulher, um ginecologista pode perceber alguns sinais, os quais, indiquem a SOP.
  • Ecografia e laparoscopia pélvica: Podem ser usados para perceber o aumento do clitóris e dos ovários.
  • Exame de sangue: Para perceber qual o nível hormonal da mulher, principalmente com relação a testosterona, a qual, deveria ser muito baixa, mas a SOP faz com que ela aumente.

Esses três procedimentos citados acima, podem ser fundamentais para descobrir a SOP antes que ela se desenvolva evitando assim, possíveis problemas como diabetes, aumento do peso e inclusive infertilidade, por isso, tem que ser tratada o mais rápido possível.

Existe prevenção para Ovários Policísticos?

Por ser causada principalmente por um fator genético, não existe um cuidado único, o qual, possa contribuir para evitar com que a da Síndrome do Ovário Policístico apareça, mas existem algumas atitudes, as quais, podem diminuir o risco de contrair essa enfermidade.

Um primeiro fator a ser levado em consideração é quanto a dieta que uma mulher leve, já que essa síndrome tem como umas das principais causas o desequilíbrio hormonal, uma dieta equilibrada, rica e nutritiva, pode evitar com que uma mulher desenvolva essa síndrome.

Outra dica de prevenção é a atividade física, já que mulheres sedentárias possuem glicemia, pressão arterial e taxa de colesterol elevadas, fatores que elevam a incidência da doença no corpo feminino.

Tratamentos e cuidados dos Ovários Policísticos

Para quem já sofre com a síndrome dos ovários policísticos, deve saber que o seu tratamento depende dos sintomas que se apresenta e do que se pretende, já que o tratamento para quem ainda pretende engravidar é diferente daquele feito com mulheres que já não querem mais ter filhos.

Por isso que se deve ter uma conversa franca com o ginecologista, antes de se decidir qualquer tipo de intervenção. Assim, acha-se a melhor maneira de controlar essa enfermidade, a qual, pode ser tratada com:

  • Anticoncepcionais orais: Para quem não pretende engravidar, o tratamento mais simples de ser feito é por meio de anticoncepcionais orais. Já que os componentes dessa pílula melhoram quase todos os efeitos negativos que essa doença causa, como o aumento de pelos, o aparecimento de espinhas, as irregularidades menstruais e por fim as cólicas;
  • Cirurgia: Outra opção de tratamento é por meio cirúrgico, já que é possível remover o excesso de cistos nos ovários;
  • Antidiabetogênicos orais: Caso a Síndrome do Ovário Policístico seja causada por resistência à insulina, um tratamento para diabetes pode ser a solução ideal;
  • Indução da ovulação: Para quem pretende engravidar, a indução da ovulação acaba sendo a melhor alternativa de se tratar essa síndrome.

Convivendo com a síndrome

A melhor forma de conviver bem com a síndrome dos ovários policísticos é uma mudança radical no estilo de vida. Por exemplo, para quem é sedentária, é necessário começar a fazer exercícios físicos. Já para quem se alimenta mau, uma mudança nesse estilo de comida, é imprescindível.

Caso tenha a síndrome dos ovários policísticos, não precisa se preocupar, pois conviver com a doença é relativamente simples e o tratamento é bastante eficaz. Basta comunicar ao seu ginecologista a doença que ele irá analisar o seu caso e indicar o melhor tratamento. Afinal, é possível sim conviver bem com a SOP.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (4 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...

Leave A Reply